Mostra Transparências

Com a motivação de complementar as experiências em trânsito promovidas pelo 3º Seminário Internacional de Educação do Instituto Inhotim, surge a Mostra Transparências. Com os impulsos propagados para que esta acontecesse, a mostra foi tomando corpo e se transfigurando em amostragens de sutis transparessências implícitas nas relações estabelecidas entre espaços e sujeitos que atuam no Educativo. Transparência uma se expõe na Biblioteca. Petra Gruber, arquiteta interessada em design inter/ transdisciplinar e convidada do Seminário, nos cedeu imagens de seus experimentos biológicos, que lhe inspiram a pensar arquiteturas orgânicas no campo da biomimética. Nestas, organismos são investigados a fim de evidenciar suas soluções construtivas, transparecendo relações entre biologia e arquitetura. Expandindo a ligação entre arte e natureza, exibe-se a transparência do espaço que aloca essas imagens e dos sujeitos que ali transitam. Transparentes estão as formas que um local de salvaguarda e estudo tem de possibilidades transitórias e expansivas. Transparência outra tem a ambição de promover encontros e descobertas de facetas até então desconhecidas de alguns educadores do Centro de Educação e Cultura Burle Marx, e se aloca nos dois espaços expositivos, na Biblioteca e na Estação Educativa. Facetas que dizem respeito a trabalhos e experiências no campo das artes visuais, do audiovisual, da dança, da poesia e da ciência. Torna-se visível, aqui, o que é oculto para os próprios colegas de trabalho. E talvez este oculto seja a força propulsora dos fazeres, mas não por si só, pois se retroalimentam. A Estação Educativa também experimenta expor a transparência de suas possibilidades. Conjuntamente, Biblioteca e Estação Educativa ousam à fazeres outros, não aqueles de suas origens, e o deslocamento se faz presente. A interligação dos espaços aparece e o convite ao trânsito se faz.